“Amém” gerou bloqueio de páginas católicas, afirma Facebook a parlamentar

Flavinho, missionário e deputado federal pelo estado de São Paulo, esclareceu o que houve no episódio do banimento de páginas católicas que reuniam milhões de seguidores pelo Facebook no início desta semana sem qualquer aviso prévio ou explicação plausível. O parlamentar relatou que nesta quarta-feira, dia 19, questionou ao diretor de relacionamentos do Facebook Brasil o porquê desta exclusão.

Deputado Flavinho

A explicação técnica dada pela rede social é que foi um erro de uma ferramenta de spam do Facebook. “Essa ferramenta detectou nestas páginas bloqueadas uma palavra que gerou a confusão. A palavra foi o amém”, disse o parlamentar citando a explicação do diretor da rede social.

Então teria sido o “uso excessivo” desse termo em pouco espaço de tempo que gerou a exclusão. “A ferramenta que é robotizada  detectou esse termo como excessivo e derrubou as páginas”.  O deputado asseverou que o diretor do Facebook entendeu o episódio,de fato, como um erro.  Ainda segundo ele não foi perseguição religiosa mas erro técnico. Segundo o diretor eles estão trabalhando para que isto não aconteça. Flavinho afirmou que acompanhará os desdobramentos do caso.

Assista ao vídeo em que o deputado esclarece o ocorrido clicando aqui.

3 thoughts on ““Amém” gerou bloqueio de páginas católicas, afirma Facebook a parlamentar

  1. Imagine então os emojis da florzinha devem bloquear o facebook no mundo todo!

  2. Se foi a palavra “amém” que gerou a exclusão das páginas, como se explica a manutenção das páginas protestantes? Ora, os protestantes não publicam posts com “amém”? A justificativa foi que o “amém” foi um termo excessivo? Então se a regra é excluir páginas que tenham termos postados de maneira excessiva, porque nenhuma outra palavra é considerada como termo excessivo gerador de exclusão das páginas? Por exemplo, os caracteres “rsrs” ou “kkk” não são mais usados no facebook do que o amém? E outra coisa, se foi um bug do sistema como se explica neste post (http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/exclusivo-decisao-de-excluir-paginas-catolicas-foi-do-facebook/) estar dito que a diretora do facebook Brasil disse que: “a decisão de exclusão das páginas veio do Facebook do mundo”. Ora, se a decisão veio do Facebook a exclusão foi um ato voluntário, pois se fosse ato involuntário, causado por um bug, não teria sentido em dizer que a decisão da exclusão veio do Facebook. Quando se diz “a decisão” é porque alguém decidiu algo, ou será que faz sentido dizer que um bug decidiria algo?
    https://www.tecmundo.com.br/facebook/104597-facebook-acusado-filtrar-postagens-certas-ideologias-politicas.htm

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *